logo_grupo_interclinicas.png

Atendimento 24 horas

(11) 3421-6352

Psiquiatra-interna.jpg

Hoje aconteceu uma coisa comigo que me deixou muito pensativo e eu decidi compartilhar aqui no face, para que vocês também reflitam!

Eu estava andando em minha rua, quando bem antes de um ponto de ônibus um homem me parou e disse:

Você tá indo pra lá? Eu respondi: sim!

Ele então me disse: moço, eu queria te pedir uma coisa! O meu filho tá lá naquele ponto de ônibus, e ele tá vendendo salgados... (eu já ia falar que tava sem dinheiro pra comprar), mas antes que eu falasse, ele continuou:

Eu vou te dar um dinheiro, e você pode comprar o salgado dele por favor? É porque ele ficou 4 anos preso, e hoje é o primeiro dia que ele saiu pra vender esses salgados e “tentar uma outra vida”, e eu quero muito incentivar ele.

Você pode comer, dar para alguém, fazer o que quiser, mas compra, por favor!

Eu fiquei meio em choque né, mas peguei o dinheiro, cheguei no ponto, pedi dois salgados.

O rapaz todo atencioso, falou os tipos que tinha pra venda e pediu desculpas quando falei que ia levar e ele tinha esquecido das sacolinhas, mas já justificando que amanhã já ia estar de volta e ia trazé-las.

Eu busquei o pai dele com o olhar lá de longe, pra que ele visse que eu tinha comprado, mas não o vi, já que ele tava meio escondido pra ele não ver o que ele tava fazendo.

A reflexão que fiz:
Quantas pessoas será que esse pai parou hoje, falou dos salgados do filho e até pediu pra comprarem dando o dinheiro, como fez comigo, só pra incentivar o filho a ter esperança e olhar o mundo com outros olhos?

Achei fantástico!

Hoje em dia a galera julga demais, e ama de menos!

Assim como eu fiquei pensativo, reflitam!

Se você leu até aqui, a história não é minha (vi no face de uma querida amiga)mas precisava compartilhar.

O amor de um Pai rompe qualquer barreira e pra eles nada é impossível pra reerguer um filho!

Cole na tua página, para que pessoas possam refletir e quem sabe serem mais empáticas e menos críticas!

Todos devemos ter segundas chances e todos temos o direito de nos regenerar e fazer melhor que antes, nossos erros não devem definir nossas vidas e sim ser um motivo pelo qual lutamos para viver melhor e sermos melhores.🙏

 

Eu vejo essa história rolando na internet desde os tempos do Orkut, não sei se é uma história verídica, possivelmente sim, mas pelo tempo que faz que ela circula, possivelmente não tenha sido exatamente como está escrito, e como você disse, ela está bem romantizada.

Porém, EU, não vejo nenhum problema no romantismo de uma parábola que pode nos levar a boas reflexões. Jesus contava histórias não é? A arte escrita e não só escrita, todo tipo de arte, nos faz transcender, não é?

Eu quero partilhar aqui com você um pouco da minha vivência neste contexto que você nos trouxe a reflexão, pois essa história é análoga à muitas histórias reais que eu vejo no dia a dia.

Eu trabalho profissionalmente e também através de trabalhos voluntários, com tratamento e reabilitação de pessoas com problema de dependência química, alcoolismo e transtornos mentais e de comportamento.

Não é regra, mas muitas pessoas com estes problemas tendem a ingressar no caminho da criminalidade. Como eu disse, não é regra, a grande maioria das pessoas que passam por isto não cometem ilícitos, a não ser é claro o ato de comprar ou portar as substâncias.

Estima-se que em geral, se juntarmos todos os modelos de tratamento e reabilitação, seja particular, público ou voluntário, 5% das pessoas que buscam um tratamento se recuperam de fato.

5%.

De cada 100 pessoas 5 se salvam.

É um número muito baixo. Muito.

Porém, este é um problema real. Ele já existe. Não há como a sociedade como um todo fingir que o problema não existe. E com certeza 5% é muito melhor do que nada.

Estes são os números.

Agora a minha vivência pessoal estando em contato com este mundo 24 horas.

Em regra, todas as pessoas que fazem parte destes 5%, não tiveram sucesso sozinhas.

A força da família é SEMPRE mais importante do que a força do indivíduo que chega derrotado quando vem buscar ajuda. E a família é o principal ponto de apoio.

A partir da família o indivíduo começa a sua mudança. Mas essa mudança passa também por outros setores da sociedade, principalmente pela igreja. Eu não sei se existem estatísticas sobre isto, mas na igreja católica se recupera demais, com certeza está bem acima dos 5%.

Eu entendo de onde vem a sua descrença nas pessoas. Eu não acho que bandidos são vítimas da sociedade. Eu acho que bandidos tem sim que pagar pelos seus crimes e de preferência de forma muito dura. Eu sei que a maioria realmente não quer sair da vida do crime. Mas eu sei que tem gente que sai.

Vale a pena ter um olhar de misericórdia antes do olhar de condenação.

Pois assim como muitas vezes para nós, ler algo bom nos trás boas reflexões, muitas vezes também para uma pessoa que está tentando sair de um caminho errado, receber um gesto bom, pode fazer uma grande diferença.